Vai um café?

Ah, eu adoro café!

Acho que em todas as minhas histórias os personagens tomam café ou aparecem em cafés ou, simplesmente, falam sobre café. Estando meu novo livro situado em Paris, não dava para deixar de mencionar os famosos cafés parisienses e suas tradições.

Logo no início de Um Marquês que me Amava os personagens se esbarram em um lugar famoso – o Les Deux Magots. Em português, o nome significa “As Duas Estatuetas Chinesas” e fazia referência aos antigos frequentadores do estabelecimento, quase todos oriundos da China.

Antes de se tornar um café, o Les Deux Magots era uma loja de tecidos e outras quinquilharias que, em 1873, mudou-se para a Saint-German de Prés (tradicional avenida parisiense). Em 1884, apenas 5 anos antes de Rose e Anthony chegarem à capital francesa, a loja tornou-se um café.

Foto das duas estatuetas chinesas dentro do Les Deux Magots
Foto das duas estatuetas chinesas dentro do Les Deux Magots

O Les Deux Magots recebeu diversas celebridades ao longo de sua história, incluindo os poetas Paul Verlaine e Stephane Mallarmé, que foram mencionados no livro como conhecidos de Anthony. A realidade e a ficção se misturaram na construção dos cenários de O Marquês que me Amava porque eu pretendia transportar as leitoras para dentro da Paris da Exposition Universeilles.

Se vocês quiserem conhecer um pouquinho do menu servido no Les Deux Magots, podem visitar o site oficial do café (selecionei a opção inglês porque sim rsrsrs)

Outro café mencionado no livro é o Café de Flore, que fica na esquina do Bulevard Saint-Germain com a Rua Saint-Benoit. É outro reduto de intelectuais e teve início na década de 1880 (estabeleceu-se o ano de 1885 para sua inauguração, porém essa data é presumida e foi escolhida para “fazer concorrência” com o Les Deux Magots), também próximo do período da história de Rosamund e Anthony. Dentre as “celebridades” intelectuais que frequentavam o café, podemos citar Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre.

Foto do Café de Flore no Século XIX
Foto do Café de Flore no Século XIX

Atualmente o Café de Flore não é mais um espaço tão solicitado por escritores e pensadores, porém continua sendo uma ótima opção histórica para um passeio por Paris.

As informações desse post foram coletadas em:

Foto de Mike Kenneally na Unsplash

Tatiana Mareto
Tatiana Mareto

Autora de romances sensuais com finais felizes.

Artigos: 41

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *